Compartilhe

A explosão de aumentos da energia foi o tema escolhido para o episódio 9 do Choque de Energia. No vídeo, o presidente da ABRACE, Paulo Pedrosa, destacou os reajustes de energia e a importância da aprovação das reformas do setor elétrico a fim de promover soluções estruturais mais definitivas. 

“As últimas MPs que passaram pelo Congresso Nacional somaram mais de R$2 bi de bondades anuais que foram incluídas no texto durante a tramitação. E agora na Câmara dos Deputados está se discutindo o projeto da Geração Distribuída, que pode custar aos consumidores do Brasil, em valor presente, R$150 bi. Repetindo o modelo de fazer bondades localizadas e distribuir o custo para a sociedade pagar na conta de energia elétrica”, evidencia Pedrosa. 

É indispensável que se avance nas reformas do setor elétrico, iniciada pela recém sancionada Nova Lei do Gás – que ainda aguarda um decreto regulamentador e resoluções da ANP para ser colocada em prática. Nesse sentido, a aprovação do projeto de modernização do setor de energia (MP 414/21) representa uma decisão de mudança positiva, que vai trazer ganhos por meio do incentivo à eficiência, à inovação e à competitividade. É preciso reformar a estrutura do setor elétrico como um todo, sob o risco de criarmos mais distorções no futuro. 

Conheça mais sobre o tema e contribua com o debate! Confia o Choque de Energia, episódio 9: 

Choque de energia #09 – Os assustadores aumentos da Energia

 

Sobre o Choque de Energia 

Toda semana a ABRACE compartilha o Choque de Energia, uma série de vídeos com o objetivo de expor a opinião da associação acerca das temáticas mais relevantes para o setor de energia e de gás natural. Com apresentação de Paulo Pedrosa, presidente da ABRACE, os vídeos trazem, de forma rápida, o que mais mobiliza ou impacta os grandes consumidores e o setor de energia naquela semana.  

O Choque de Energia vai ao ar semanalmente no canal oficial da Abrace no Youtube e nas redes sociais. Você também pode participar, enviando a sua contribuição para abrace@abrace.org.br. 


Compartilhe